quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Recomeços + tramoias do destino + NF

Ohayo minna, como vocês estão ? Espero que bem.

Hoje, dia 9 de dezembro, recomeço minha quase esquecida jornada para a perfeição. A última vez que me pesei estava com  gordos 57 kgs, não me pesei mais depois disso, temo e me envergonho diante a balança.

Não comerei hoje, almoçarei livros e cigarros. Trabalharei como louca.
Tenho medo de sair de casa agora, sito alguém me perseguindo. Estou com medo até do celular. Escuto músicas para tentar me distrair, vil esperança.
São 7h40 da manhã, sai da estação de trem e tomei café, estou a caminho do serviço, fumando um cigarro atrás do outro para poder aguentar bem o dia e me acalmar - sinto meu próprio coração batendo enlouquecidamente no peito, resultado do medo em que agora eu vivo .

Meu Deus! Que falta me faz o ECA! Ele foi embora junto com a aspirina, preciso comprar mais, apesar que estou começando a  ter taquicardia quando tomo o Franol. Isso é normal?
Bem, sendo normal ou não, não me importo mais, preciso estar em alerta. Sinto olhos por toda a parte, depois do episódio da perseguição. Minha vida ta foda.

Eu tinha ido ao cemitério, no domingo, visitar minha nona, já que ontem - que foi aniversário dela - eu não poderia ir. Quando estava voltando pelo túnel do terminal de ônibus indo para o terminal de trem, escutei umas rodinhas e , sem pensar, parei ( tola que fui ), mas o som das rodinhas também parou. Virei - me para trás e me deparei com ele - meu perseguidor -, a distância que nos encontrávamos (  a que ele parou ) foi mínima: se ele quisesse puxar meu braço, ou me beijar, daria sem que nenhum dos dois desse mais um passo.

Ele estava me observando, Deus, aqueles olhos, nunca vou esquecê-los, então ele fala "te conheço". Eu nunca tinha visto o cara em toda a minha vida! Um homem de estatura mediana, gordo igual a um elefante, meio calvo e de óculos de grau. Carregava consigo uma mala de rodinhas preta. Nunca o vi nem passando pela rua .
Com um medo e pavor, que me fizeram tremer as pernas, fiquei paralisada por segundos que me pareceram infinitos diante dos olhos daquele desgraçado, até que consegui me mover e correr para fora da estação e atravessar a rua. O calor solar me faria bem. Acendi um cigarro, tinha que me acalmar. Fora questão de segundos, nem estava totalmente calma, quando ele me ligou em número privado. Atendi, pensando que era meu pai - as vezes ele coloca assim -, vil esperança. Aquela voz, Deus meus, dizendo "viu que te conhecia?","quando nos veremos novamente?", "Não vai me responder?", "onde você está?" "vou te dar uma carona até em casa"... Isso soa como eco em meus ouvidos. Desde então não durmo direito, todas as vezes que que fecho os olhos vejo aquele rosto. Tenho muito medo.


2ª parte: Passei o dia a base de livros, café e cigarros. Mentira, não passei o dia a base de livros, pois eu mesma não conseguia me entreter com minha leitura. O medo me dominou de tal forma, que o J. ( o guri que conheci no caminho de casa e que me deu um livro, fora varias outras coisas que ele me deu ...^^ ) está tendo que me buscar em casa para eu poder sair para trabalhar, e quando não, o meu irmão tem que acordar para me levar até a passarela.
O "lado bom " disso é que agora que meus NFs vão ser frequentes, pois nao estou mais sentindo a mesma fome de antes. Chegarei à perfeição mais rápido, o único problema : tenho que me lembrar de tomar água a cada hora.

Tenho que ir trabalhar agora,
Bjs, força, rumo à perfeição e Rumo ao manequim 38!!

Um comentário:

  1. Junte forças e diga muito claramente que ele está incomodando, que você não quer nada, e se ele não recuar, endureça o tom, ameaçe e vá à delegacia.
    Já fui perseguida e sei o quanto isso é horrivel e psicologicamente devastador. Felizmente meu perseguidor não era violento, mas o medo que eu senti foi uma das piores coisas da minha vida, eu pensava em comprar aquelas arminhas de choque na época, acho válido.

    ResponderExcluir

Cada comentário é muito importante para mim, auxilia-me a ter forças para continuar esta árdua jornada. Todavia NÃO TOLERO XINGAMENTOS A ANA OU A MIA. NÃO OFENDA, QUEIRA "AJUDAR" COM IDEIAS QUE ME AFASTEM DELA, NÃO CRITIQUE. SE NÃO TEM NADA DE BOM, NENHUM APOIO, SE NÃO ENTENDE O MEU OU O NOSSO MUNDO VÁ EMBORA!!!!!!!
Muito Obrigada a todos