segunda-feira, 11 de março de 2013

I'm depressed again, and I know this

Konbawa minna! Como estais vós?
Bom, esta semana foi complicada: rolaram emoções, como se houvesse uma tempestade de sentimentos e eu estivesse no meio dela, sem guarda-chuva ou capa, uma árvore ou um abrigo qualquer próximo para não me molhar. Amor, tristeza, luto, melancolia, alegria, depressão. Nisso também vieram de brinde raios e trovões recheados de láminas, canivetes, cigarros e bebidas, sendo eu o alvo predilecto.
Luto, pois nesta semana houve 2 mortes que mataram-me por dentro, como uma faca e uma estaca de madeira açoitaram meu coração por trás e pela frente. Fiquei desarmada, desolada em meio a tempestade sem saber por onde ir ou de onde vim - perdida. Como todo o país, e o mundo, sabem morreram: Chàvez e Chorão, meus dois maiores ídolos depois de Hittler, Napoleão e Gandhi. Não ouvi Céu Azul, muito menos Dias de Luta, Dias de Glória por uns 3 dias, depois não aguentei: as ouvi e começou a se formar um nó em minha garganta, em meu coração. Não conseguia chorar, fumei demasiadamente sem vontade de parar. Somente hoje consegui ver algumas notícias sobre o ocorrido e mesmo assim o nó continua e a pergunta insiste em voltar: por quê?
Amor, pois reencontrei uma pessoa especial para mim, e uma outra pessoa maravilhosa apareceu para me guardar...Bem, por pouco tempo, acho, vou chamá-la de D. ou "a stór".
Tristreza, melancolia e depressão, pois sexta o D. pediu-me para parar de fumar, por eu ser importante a ele e etc. Implorou seria a palavra correcta, mas a questão é que eu parei, por dois dias. Claro que eu iria continuar com o plano, porém hoje deram-me motivos para voltar: ou voltava ou me cortava ou me suicidava. Eu sei que suicídio algumas pessoas dirão: "tu estás a ser demasiado dramática, melodramática e estás a exagerar!" Ok, todavia ninguém sabe - ou sabe não sei - como é ter o coração destroçado mil vezes mil vezes por cada pessoa que me relaciono. É como se tivesse um contrato de relacionamento no qual esteja escrito nas entrelinhas miúdas - ou como minha mãe diz: estrelinhas.Lol - que diga: " a mate por dentro, a destrua, a iluda e taque fogo em seu ser inútil, saia e não olhe para trás". Simples. Ok, parei no bar e comprei um maço de cigarros.
Alegria, pois ontem saí com minha mãe que há tempos não vejo. Fomos ao Teatro Municipal de SP assistir à uma orquestra, tocaram Mozart - amo-o. A noite, sai com um amigo meu - o minduim - e a família dele a qual já faço parte. Fomos ao shopping de São Caetano e fomos naquele Hot Zone, nos divertimos, rimos e conversamos bastante.
Alegria também pois meu shorts e minhas calças estão largas na barrigas - ódio eterno de minhas pernas gordas e grossas, odiosas. Ainda não entendo como uma tia minha ( vou chamá-la de T. - ok dark, bem original tu hein, lol.  )  posta fotos de mulheres obesas com vestidos, roupas e lingeris sexys e fala que estão lindas demaissss. Em que mundo ela vive? Tudo bem, as roupas são um arraso mesmo, mas o tamanho não.
Ainda não me pesei, quero ver minhas costelas ou minha clavícula inteira antes.
Na dieta estou indo super bem: como apenas o mínimo de salada, sem suco, sem arroz ou feijão... Minúscula salada no almoço, quando almoço, e uma minúscula salada na janta. Acompanhado apenas por cigarros e café.
Terminei de ler mais um livro, estou a ir demasiado bem nos cursos, na dança. É só. Boa sorte, força a todas e Rumo a Perfeição!




















Cada comentário é muito importante para mim, auxilia-me a ter forças para continuar esta árdua jornada. Todavia NÃO TOLERO XINGAMENTOS A ANA OU A MIA. NÃO OFENDA, QUEIRA "AJUDAR" COM IDEIAS QUE ME AFASTEM DELA, NÃO CRITIQUE. SE NÃO TEM NADA DE BOM, NENHUM APOIO, SE NÃO ENTENDE O MEU OU O NOSSO MUNDO VÁ EMBORA!!!!!!!
Muito Obrigada a todos